.posts recentes

. ...

. FELIZ ANO NOVO

. FELIZ NATAL

. Breve Alusão ao Milagre d...

. ...

. Marés de Verão

. São Leonardo de Galafura

. ...

. Fugas e Momentos

. ...

. Fugas e Momentos

. Poesia

. Imaginação

. Imaginação

. Inspira-me

. Фредерик Шопен. Весенний ...

. Canção da esperança

. ...

. INSPIRA-ME

. Na Ilha da Vida

.arquivos

. Dezembro 2015

. Agosto 2014

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Dezembro 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Dezembro 2011

. Janeiro 2011

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Maio 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.Serenamente

.Partilhas

Estou no Blog.com.pt Poetry Art Blogs - Blog Catalog Blog Directory Uêba - Os Melhores Links Globe of Blogs blogarama.com blogarama - the blog directory blog search directory Blog search directory

Technorati Profile Add to Technorati Favorites Blog Directory
blogs SAPO

.Ver o Tempo em Portugal e no Mundo

Weather Forecast
Avalie Este Blog!
Uma serena visita!
Segunda-feira, 11 de Agosto de 2008

Entre nós

 

Entre nós há barcos

e um mar imenso de solidão

de dor

de lágrimas

de penumbras que encheram dias

de sombras que amanheceram  noites

 

Como onda rasa navegaste meu corpo

inauguraste o hino da vida

revolveste a praia

arrasaste o areal

e

partiste no solstício de Verão

 

 

 

 

Não percorremos as noites

Não amámos as manhãs

Não demos as mãos

 

 

Partiste antes, muito antes
no solstício de Verão

 

Sentada em Setembro

despedi-me do Verão

No Inverno chorei

com a chuva

 

Em silêncio desci

todas as tempestades

morri todas as noites

renasci todas as manhãs

adormeci tardes de dor

embalei memórias de amor

 

 

Partiste antes, muito antes

no solstício de Verão

quando o princípio

estava longe do fim

 

Em mim ficou a geografia incerta do teu corpo

a memória breve do teu riso

o cheiro intenso de ti

a vida a pulsar em mim

  

Pedaços de lua clarearam as noites

risos de menino desataram silêncios

e perdoaram todas as lágrimas do mundo

 

Na memória

ouve-se o silêncio do tempo

 

  

No coração, a música suave

de uma canção de embalar

e um menino, o melhor de ti

a rir e

a chorar, a chorar

no solstício de Verão.

 

Isabel Simões 

 

 

 

 Fotografia: Isabel Simões
 
 
 
 
 

 

sinto-me:
tags: ,


.Frase do dia

.mais sobre mim

.Translate this blog in

.pesquisar

 

.Dezembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24

27
28
30
31


.tags

. todas as tags

.links

.subscrever feeds

.SERENOS REGRESSOS

conter12

.Serenas e únicas passagens